Por Alexandre Cardia Machado

Talvez Jaci Régis em 1989 não pudesse imaginar que em 2017 estaríamos preparando a realização do 15° Simpósio Brasileiro do Pensamento Espírita. O quarto que se realizará após a sua desencarnação. Acreditamos que ele esteja feliz

em ver que uma iniciativa já com 28 anos que visava reunir espíritas livre-pensadores que, naquele tempo tinham pouco espaço para divulgar suas ideias nos encontros realizados por espíritas religiosos.


A necessidade em 1989 era imensa, pois, após a realização de um Congresso da USE – União das Sociedades Espíritas de São Paulo, em 1986 havia ficado claro que nosso grupo era incompatível com o resto do movimento da USE. A discussão de temas críticos como influência de Roustaing ou Emmanuel no Movimento Espírita incompatíveis com premissas de Allan Kardec, ou então se o espiritismo era ou não uma religião ou ainda se a prece inicial nas reuniões espíritas poderia ser considerada ou não um ritual, transformaram-se em debates acirrados que em muitos casos, ultrapassaram o limite da educação.

Precisávamos de novos espaços – neste momento surge o Simpósio Nacional do Pensamento Espírita, que naquela época foi realizado com palestrantes convidados, lideranças livre-pensadoras que exploraram temas específicos e que eram então a base da discórdia entre os Laicos e os Religiosos.

Com o sucesso da primeira edição, decidiu-se ao seu final em realizá-lo a cada 2 anos, passando então a chamar-se Simpósio Brasileiro do Pensamento Espírita.

Desde a segunda edição o seu novo formato se mantem até hoje, não temos mais palestrantes convidados, temos sim espíritas que querem expor suas ideias, seus trabalhos – para isto estamos aqui. Foram mais de 270 trabalhos apresentados nestes 28 anos. Neste tempo um grande número de casas espíritas se uniu à CEPA – Associação Espírita Internacional. Dentro do SBPE surgiu a CEPA-Brasil, inicialmente denominada Amigos da Cepa, com eles surgiram Encontros, Fóruns e outras iniciativas que multiplicam as oportunidades de exposição de trabalhos e de surgimento de lideranças. Tudo isto é muito positivo, criou-se um círculo virtuoso.

Só não devemos esquecer que tudo se originou do SBPE e que estas novas lideranças e expositores deveriam apresentar seus trabalhos também por aqui. O SBPE precisa ser preservado como a memória viva da energia criativa de todo este movimento de ideias renovadoras, com uma clara vocação nacional e internacional, totalmente registrada em seus anais, hoje amplamente disponíveis na internet.

O SBPE é organizado por um grupo pequeno de pessoas do Instituto Cultural Kardecista de Santos e do Jornal Abertura, este um elo permanente do evento. Fica aqui expresso nosso convite para mais uma vez nos reunirmos em Santos no 15° SBPE.

***

Para mais informações sobre 15o SBPE acesse o blog do Instituto Cultural Kardecista de Santos – ICKS: http://icksantos.blogspot.com.br/2017/02/15-sbpe-