ORIGENS DA CEPA

A Cepa surgiu em meio a importantes acontecimentos sociais e políticos ocorridos na Europa e na própria América, em meados do século XX. A eclosão da Segunda Guerra Mundial, em 1939, afetando drasticamente as atividades do espiritismo na França, na Espanha e em outros países da Europa, o desaparecimento da Federação Espírita Internacional, com sede em Paris, além do propósito alimentado pela Confederação Espírita Argentina de criar uma Confederação Espírita na América que mobilizasse o pensamento kardecista dentro do ambiente cultural americano, constituíram os principais motivos que levaram um grupo de espíritas argentinos, liderados por Don Hugo Lino Nale, a realizarem, na sede da Confederação Espírita Argentina (CEA), o I Congresso Espírita Pan-americano, de 5 a 13 de outubro de 1946, ocasião em que foi fundada a Cepa, com representantes da Argentina, Brasil, Chile, Cuba, Equador, Estados Unidos, Honduras, México, Porto Rico e Uruguai. Nesse processo destacaram-se, ainda, Natalio Ceccarini, Naum Kreiman, Santiago Bossero, Humberto Mariotti, José Tejada, Luis Di Cristóforo Postiglioni, Antonio Melo (brasileiro), Albíreo Barcón e Elías Toker e, mais adiante, o reforço de espíritas brasileiros tais como Deolindo Amorim, coronel Pedro Delfino Ferreira, Aurino Barboza Souto e Ismael Gomes Braga, participantes da antiga Liga Espírita do Brasil, e outros de São Paulo e Porto Alegre, como o Dr. Paulo Hecker. O Congresso tomou a decisão de adotar a cepa da videira como símbolo da Cepa, a mesma utilizada por Kardec para identificar o espiritismo. A CEPA iniciava, assim, com um duplo significado em sua sigla, sua marcha rumo ao progresso das ideias espíritas.

Somente em 2016, setenta anos após sua fundação, atendendo aos insistentes reclamos, principalmente da comunidade espírita da Europa, identificada com o caráter laico e livre pensador da doutrina espírita, a Cepa modificou seus estatutos, transformando-se na CEPA - Associação Espírita Internacional, mantida a sigla original.


OS CONGRESSOS E AS CONFERÊNCIAS

O II Congresso, realizado no Rio de Janeiro de 3 a 12 de outubro de 1949, foi organizado pela Liga Espírita do Brasil sob a presidência de Aurino Barboza Souto e secretariado por Deolindo Amorim. Participaram desse Congresso personalidades do espiritismo brasileiro como Lins de Vasconcellos, Carlos Imbassahy, Lauro Sales, Francisco Klors Werneck, o deputado Campos Vergal, coronel Delfino Ferreira, Leopoldo Machado, João B. Chagas, Eden Dutra Nascimento, Sebastião Costa, Euripedes de Castro e muitos outros representantes de organizações estaduais do Brasil, desde Pernambuco até o Rio Grande do Sul. As circunstâncias permitiram que os brasileiros reunidos nesse Congresso tivessem a oportunidade de iniciar a aproximação do Movimento Espírita Brasileiro em torno da FEB. Alcançaram um entendimento e criaram o Conselho Federativo Nacional, evento que ficou conhecido, no Brasil, como o Pacto Áureo. Ainda nesse Congresso foi eleito o segundo presidente da CEPA, o coronel Pedro Delfino Ferreira, um brasileiro, que a dirigiu no período 1949 – 1952.

Desde então, motivada por divergências com a direção do movimento espírita brasileiro, a Cepa não mais realizou eventos no Brasil, até o ano 2000, quando, na gestão de Jon Aizpúrua, o XVIII Congresso ocorre em Porto Alegre - Brasil.

De 1964 a 2006, a Cepa realizou também, alternadamente com os congressos, as conferências regionais. (clique aqui para ver lista completa)



PRESIDENTES DA CEPA


1946/1949 - José S. Fernández (Buenos Aires - Argentina)

1949/1953 - Pedro Delfino Ferreira (Rio de Janeiro - Brasil)

1953/1957 - Miguel Santiesteban (Havana - Cuba)

1957/1960 - Guillermina de Fermaintt (São João - Porto Rico)

1960/1963 - Mauro Jiménez Pelaez (Cidade do México - México)

1963/1966 - Natalio Ceccarini (Buenos Aires - Argentina)

1966/1972 - Dante Culzoni Soriano (Rafaela - Argentina)

1972/1975 - Romeo Molfino (Rafaela - Argentina)

1975/1990 - Hermas Culzoni Soriano (Rafaela - Argentina)

1990/1993 - Pedro A. Barboza de la Torre (Maracaibo - Venezuela)

1993/2000 - Jon Aizpúrua (Caracas - Venezuela)

2000/2008 - Milton Rubens Medran Moreira (Porto Alegre - Brasil)

2008/2016 - Dante López (Rafaela - Argentina)

2016/2020 – Jacira Jacinto da Silva (São Paulo – Brasil)